|||Santa Casa de Adamantina ganha espaço de acolhimento de mulheres vítimas de violência doméstica

Santa Casa de Adamantina ganha espaço de acolhimento de mulheres vítimas de violência doméstica

2020-09-17T16:40:18-03:00 14 de setembro de 2020|

Após levar a campanha Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica para a região da Alta Paulista, a juíza Ruth Duarte Menegatti, da 3ª Vara da Comarca de Adamantina, está à frente de um novo projeto que visa ao acolhimento de mulheres vítimas desse crime. O espaço para o atendimento foi cedido pela Santa Casa de Adamantina e contará com atendimento especializado, como um psicólogo assistencial.

“Não se trata apenas do aspecto criminal. É ajudar essa mulher que desejar subsídio para que ela tenha um atendimento assistencial, também para os filhos, podendo ficar por 24h na Santa Casa já que não temos Casa da Mulher na região”, explicou a juíza.

Delegada Laiza Rigatto e a juíza Ruth Menegatti em lançamento do espaço de acolhimento na Santa Casa de Adamantina

O projeto teve inspiração em iniciativa semelhante em Cuiabá (MT), cidade que em julho inaugurou o primeiro espaço do Brasil voltado ao acolhimento de vítimas de violência doméstica localizado dentro de um hospital público. A magistrada realizou uma reunião com a Secretaria da Mulher de Cuiabá em que foram explicados o funcionamento do espaço e o protocolo de atendimento. Com o aval do diretor do hospital, Frei Matheus Alves, Ruth, o juiz Carlos Gustavo Scarazzato, o promotor Marlon Roberth de Salles, a delegada Laiza Rigatto Andrade e demais autoridades ligadas à rede de enfrentamento criaram um protocolo de atendimento voltado à região.

Frei Matheus Alves, diretor da Santa Casa, em lançamento do espaço de acolhimento

A primeira etapa da ação passa pela capacitação dos profissionais de saúde que atuam na Santa Casa. Eles participarão de palestras ministradas por todas as autoridades envolvidas. A primeira capacitação ocorreu dia 4 de setembro e a expectativa é que o espaço esteja aberto para funcionamento em novembro.

Projeto irá capacitar profissionais da saúde com palestras das autoridades envolvidas

“Achei espetacular além das farmácias [parceiras na campanha Sina Vermelho], também contar com a Santa Casa. Percebemos o interesse dos funcionários, mas há a necessidade da capacitação porque é um tema peculiar. A responsabilidade social é de todos e os serviços de saúde têm uma possibilidade muito grande de ajudar, inclusive a vítima pode procurá-los diretamente. É uma porta aberta e o profissionais vão estar capacitados a, querendo a vítima, chamarem a Polícia Militar e a fornecerem atendimento e abrigo para essa mulher”, contou.

Juiz Carlos Scarazatto também à frente da idealização do projeto

tiveram a oportunidade de participar das palestras dos juízes Ruth Menegatti e Carlos Gustavo Scarazzato; do capitão da PM Eder Bressan; da delegada de Polícia Laiza Rigatto; e do promotor de Justiça Marlon Roberth de Sales.

Promotor de Justiça Marlon Roberth de Sales em palestra durante o lançamento

 

 

Capitão da PM Eder Bressan durante evento de lançamento