|||Piraju adere à campanha Sinal Vermelho em evento com a conselheira do CNJ Maria Cristiana Ziouva 

Piraju adere à campanha Sinal Vermelho em evento com a conselheira do CNJ Maria Cristiana Ziouva 

2020-09-19T12:33:21-03:00 19 de setembro de 2020|

A campanha Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica foi lançada oficialmente no município de Piraju, nesta sexta-feira (18/9). A solenidade, realizada pela Apamagis com o apoio da Prefeitura e do Tribunal de Justiça de São Paulo, marcou a assinatura do termo de adesão do Executivo local à campanha e contou com a presença da conselheira do CNJ Maria Cristiana Ziouva, pirajuense e uma das responsáveis pela implantação da iniciativa em nível nacional. A transmissão ao vivo foi transmitida no Facebook da Apamagis e pode ser conferida neste link.

“Com uma alegria muito grande e satisfação imensa, retorno aqui para o lançamento dessa campanha de importância fundamental. É uma campanha de caráter humanitário, mas também de solidariedade e responsabilidade social”, salientou a conselheira.

Conselheira do CNJ Maria Cristiana Ziouva mostra o símbolo da campanha durante discurso

Lançada no dia 10 de junho, a campanha Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica, de iniciativa da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) e do CNJ, tem por objetivo oferecer às mulheres vítimas de violência doméstica um canal silencioso de denúncia: ao desenhar um X vermelho na mão e exibir o sinal ao farmacêutico ou ao atendente da farmácia, a polícia militar será acionada após discagem ao 190 e prestará o auxílio à vítima.

Juíza do TJSP, Maria Domitila Manssur, conselheira da Apamagis e diretora da AMB Mulheres, foi aplaudida de pé por todos

Também presidente da Comissão Permanente de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher no CNJ, a conselheira relatou que, com a pandemia, a vulnerabilidade da mulher ficou muito mais acentuada, condição que ensejou a idealização da campanha por parte da presidente da AMB Renata Gil, e da juíza do TJSP Maria Domitila Manssur, conselheira da Apamagis e diretora da AMB Mulheres, que, presente à ocasião, foi aplaudida de pé por todos que acompanhavam o evento.

“A perda do emprego, o aumento do consumo de bebida alcoólica e as dificuldades financeiras em associação com a convivência forçada são alguns dos fatores que contribuíram para o aumento das tensões nas relações domésticas e familiares. As vítimas, ao dividirem o mesmo espaço com seus agressores, encontram-se impedidas de acionar os canais de denúncia digitais disponíveis ou até mesmo de pedir ajuda às pessoas de sua confiança”, afirmou Maria Cristiana Ziouva.

Segundo dados apresentados pela conselheira, mais de 11 mil farmácias aderiram à campanha, que já rendeu resultados exitosos: com apenas dois meses, mais de oito milhões de pessoas foram alcançadas via redes sociais e 27 mil fotos foram postadas com a #SinalVermelho.

Apesar dos avanços, como as 52 mulheres que sabidamente receberam auxílio da Polícia Militar após utilizarem o símbolo da campanha, a conselheira Maria Cristiana salientou que há espaço para aprimorar o atendimento, como um canal direto para a campanha no atendimento telefônico do 190, o que viabilizaria a contabilização das denúncias.

Juiz Acauã Tirapani, um dos responsáveis por levar a campanha à Comarca de Piraju

O evento foi conduzido pelo juiz da 2ª Vara da Comarca, Acauã Tirapani, um dos responsáveis por levar a iniciativa ao município. “Pude notar que na nossa região o volume de processos envolvendo violência doméstica contra a mulher é muito grande. De 15 a 20% dos processos de matéria criminal versam sobre violência doméstica. Em um universo tão grande de fatos criminais, esse é um índice assustador. Por esse motivo me foi tão caro trazer a campanha para Piraju, para que possamos dar mais um passo rumo à erradicação desse fato social tão grave e que temos de enfrentar”, afirmou o magistrado ao abrir os trabalhos.

Em sua fala, Tirapani agradeceu e pediu apoio aos policiais militares presentes ao evento. Ele reconheceu que o efetivo no Interior do Estado não é satisfatório, mas pediu atendimento imediato às vítimas que buscam ajuda nas farmácias.

Juíza Alessandra Spalding, coordenadora da Apamagis na região de Ourinhos, representou a presidente Vanessa Mateus na solenidade

Vanessa Mateus, presidente da Apamagis, foi representada por Alessandra Spalding, coordenadora da Associação na região de Ourinhos, que saudou o comprometimento do município na ocasião. “É uma campanha que não pode ter dono e que precisa de toda a sociedade engajada, assim como as polícias civil e militar, para que seja um sucesso. Quando vemos parcerias, como essa em Piraju, entre o Executivo e o Judiciário, temos esperanças de que essa será uma campanha que vai render frutos”, afirmou.

Ao convidar os municípios a se engajarem no tema e a replicarem as boas práticas, a juíza elogiou recente iniciativa capitaneada pela magistrada Ruth Duarte Menegatti, em Adamantina, a qual se destinou à criação de um espaço de acolhimento, inclusive psicológico, às mulheres vítimas de violência – e também a seus filhos – na Santa Casa da cidade. “Acredito que o próximo passo seja criar, junto com os municípios, espaços de acolhimento para essas mulheres”, indicou.

Ana Karina Gonçalves Pansanato, diretora de Ação Social de Piraju, assinou o termo de adesão em nome do prefeito José Maria Costa

Ana Karina Gonçalves Pansanato, diretora de Ação Social de Piraju, assinou o termo de adesão da Prefeitura em nome do prefeito José Maria Costa, que não pôde estar presente por questões pessoais. “Uma reflexão importante que eu queria deixar é que todas as vezes em que integramos ações, segurança pública, Executivo, Legislativo e Judiciário, acredito que avançamos como agentes públicos na garantia das proteções e nos comprometemos diante de nossas atribuições, mas, especialmente, avançamos como sociedade. E essa campanha é um sinal disso”, frisou.

Vanessa Mateus e Renata Gil enaltecem lançamento em Piraju

Impossibilitadas de comparecerem presencialmente ao lançamento da campanha sinal vermelho em Piraju por um conflito de agendas, as presidentes da Apamagis, Vanessa Mateus, e da AMB, Renata Gil, enalteceram a parceria firmada com a Prefeitura em vídeo exibido na solenidade.

Presidente da Apamagis, Vanessa Mateus, faz pronunciamento em vídeo exibido no evento

“Para nós, o lançamento dessa campanha aqui é um marco no combate à violência doméstica contra a mulher. E eu fiz questão de comparecer para saudar o engajamento do setor público, do setor privado e da sociedade civil”, afirmou Vanessa Mateus.

A presidente da Apamagis aproveitou a oportunidade para exaltar também a participação das farmácias. Em sua opinião, não havia local mais adequado, pois são “acessíveis, possuem um profissional da saúde à disposição, estão sempre abertas e são objeto de visitas recorrentes e necessárias”.  E comemorou os resultados que começam a ser noticiados ao lembrar que uma mulher teve o ciclo de violência, que já durava quatro anos, interrompido ao recorrer ao símbolo da campanha. “Isso nos mostrou como é possível darmos as mãos e participarmos da solução de um problema que é histórico em nossa sociedade”, celebrou.

Renata Gil agradeceu a adesão do município e explicou que a campanha “visa salvar vidas, especialmente nesse período de pandemia em que ainda há isolamento, e garantir a liberdade das mulheres, a liberdade de escolha, para que elas se libertem da violência”.

Presidente da AMB Renata Gil cumprimenta em vídeo os responsáveis pela iniciativa em Piraju

Estiveram ainda presentes à solenidade a juíza Luciane Shimizu, também responsável pela implementação das ações de enfrentamento à violência doméstica no município, membros do Ministério Público, da advocacia, de conselhos tutelares, das farmácias e das polícias militar e civil.

Os juízes Acauã Tirapani, Maria Domitila Manssur, Luciane Shimizu e Alessandra Spalding; Conselheira Maria Cristiana Ziouva e a diretora de Ação Social de Piraju Ana Karina Gonçalves

 

A Na plateia, membros do Ministério Público, da advocacia, de conselhos tutelares, das farmácias e das polícias militar e civil

 

Juíza Maria Domitila Manssur e representantes das farmácias da região

 

O artista Luiz Rocha abriu a solenidade com a música “Triste, Louca ou Má”, da banda Francisco El Hombre, que trata do empoderamento feminino